quarta-feira, janeiro 28, 2009

Ano novo recessão velha

Não podem queixar-se que se há crise, foi por falta de links com recomendações. E volto a massacrar os benévolos leitores com mais umas dicas sobre poupança. A sugestão de hoje é da ProTeste Poupança, onde a frase de entrada não parece ser animadora: "a crise económica, que começou em 2008, vai prolongar-se em 2009". Vamos lá então seguir os conselhos...

http://www.protestepoupanca.pt/

3 comentários:

rafael disse...

O que é a crise?
Será que é ires de férias ao Brasil uma vez por ano em vez de duas? Será que é comprares um Mercedes em segunda-mão em vez de um novo? Será que é comprares 10 dvds por mês em vez de comprares os habituais 20?

A verdade é que a crise não passa de uma mentira que nos foi vendida para que certas pessoas possam lucrar. Em 2009 vamos entrar numa crise... até aqui não passou tudo de mentiras.

jogoscelular.net disse...

Discordo totalmente do Rafael, a crise realmente está pegando todos co mas calças na mão. Veja as empresas que demitem sem parar. Multinacionais de grande porte como a GM e a Crysler que estão á beira da concordata. Portanto dizer que "inventaram" essa crise é um tanto quanto "eufemista".

Alberto Vale disse...

Vou deixar também a minha opinião. Creio que há e não há crise! Esta opinião intermédia não é para agradar a "gregos e a troianos", mas porque é mesmo essa a minha opinião!

E explico porquê. Por exemplo, é notório o crescimento do desemprego e do endividamento. Mas ao mesmo tempo o comum dos mortais não abdica de muitos luxos que foi adquirindo ao longo dos tempos. A fome de hoje já não é fome de pão, mas sim, talvez, de croissant com creme.

Não me vou armar em político, mas talvez seja a melhor altura de lutarmos por aquilo que realmente queremos, pôr os neurónios a funcionar e descobrir formas criativas de nos empregarmos, sustentar a família e contribuir para o mundo. Deixem-se de lamechas e "pedinchices".

Vou tomar a ousadia de mudar para o plural o pensamento: "os verdadeiros heróis descobrem-se nos momentos mais difíceis."